Luz nas trevas de Covas

Djalma dos Anjos

Foi na inauguração da luz elétrica do povoado de Covas (claro, município de Itiúba).

Uma comitiva de Itiúba, acompanhava o Sr. Wagner Mello Santos, autor do projeto, candidato a prefeito e que foi eleito nas eleições seguintes, até aquela localidade, para a festa de inauguração. Entre as pessoas da comitiva estávamos eu, Fernando, Itinho, Huguinho, Bertinho, Banduca, Herbinho e muitos outros.

Estava tudo pronto, o povão circulava pelas "ruas" e já começava a escurecer. Tinha gente do local que diante da novidade ficava meio com medo e relutava em sair de dentro de casa. O motor, inclusive,  já dava sinal de sua potência, quando veio a ordem de ligar tudo.  As lâmpadas dos postes começaram a acender sob os aplausos de todos. Logo um sistema de som ligado aos auto-falantes instalados em alguns postes também deu o ar de sua graça.

Lembro-me, como agora, a música que predominou durante toda a cerimônia dizia assim: "Ah, como é bom viver..., como é bom amar..., à beira mar ", que eu gravei e até hoje me pego cantarolando e lembrando daquele dia atípico.

Mas, perto do local do motor, havia uma casinha de taipa e quando a luz acendeu, saiu de lá uma mulher gritando para alguém que estava lá pra dentro

– Zé, vem ver a luz "acendida"!

E o Zé responde lá de dentro:

– Foi com o tição ?

E ela:

– Não seu besta, foi com o "motroço".

E assim, depois de tudo, comemos e bebemos o que "nos era de direito" e retornamos para Itiúba , deixando aquele clarão nas trevas.

É bom lembrar.

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE GERAL
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR

Veja a próxima crônica

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho

fpcarvalho@globo.com