I

CHURRASQUINHO DE GATO

Hugo Pinto de Carvalho

 

 

 

 

 Alguns seresteiros itiubenses nas décadas de 50/60 tinham como costume assar galinhas  a meia-noite nos velhos fornos a lenha das padarias locais para servir de merenda durante as cantorias ao luar, porém, quando não tinham dinheiro para comprar as “penosas” apelavam para o “churrasquinho de gato”.

Achar os bichanos á noite até que era fácil, o difícil era convencer os padeiros concordar em assar gatos nos fornos, e com razão, pois se a população descobrisse  ninguém mais na cidade iria querer seus pães.

 



 

IR PARA O ÍNDICE DE CRÔNICAS DESTE AUTOR
IR PARA O ÍNDICE POR ASSUNTO
IR PARA O ÍNDICE POR AUTOR
IR PARA O ÍNDICE GERAL

 

Itiúba do meu Tempo - Fernando P. de Carvalho


fpcarvalho@globo.com